Onde estamos neste momento

Desde que começamos a encarnar na Terra pela primeira vez, temos caminhado ao longo de uma infindável extensão de praia arenosa. Todas as nossas experiências deixaram uma longa linha de pegadas na areia atrás de nós. Se fizermos uma pausa e olharmos para trás, iremos ver a nossa história inteira impressa na areia.

Houve momentos em que corremos livremente adiante, dançando com entusiasmo. As marcas na areia onde desistimos e nos atiramos ao chão esgotados demais para continuar. As pegadas preenchidas com poças de nossas lágrimas. As feias cicatrizes onde chutamos raivosamente a areia em frustração, impaciência e descontentamento. Podemos ver os lugares onde paramos para rezar ou meditar, construindo altares temporários na areia para o que quer que acreditávamos naquela época. Há também as deslumbrantes esculturas de areia que criamos quando estávamos cheios de inspiração. As palavras de sabedoria que gravamos pelo caminho. Os enormes corações que desenhamos quando estávamos apaixonados. As épocas em que simplesmente nos arrastamos pelo caminho, num cansativo passo a passo. As inúmeras pegadas quando andávamos com outros -- algumas vezes com amor, risadas e apoio; outras vezes deixando marcas de briga na areia de nossos conflitos e poças de sangue de nossas violentas batalhas.

Tudo o que vivemos está gravado na areia atrás de nós. É a nossa história -- nossa história pessoal. E está lá para todos verem.

Então algo totalmente inesperado acontece. Uma Tsunami gigante de AMOR aparece e com um grande XUÁ lava tudo e leva para longe! Nós paramos em nossos caminhos, incertos sobre o que fazer. Nossa história acabou de ser apagada. Nós subitamente nos sentimos nus. Como podemos continuar sem carregar o cunho (e bagagem) de todas as nossas experiências passadas?

A resposta é: Com Muita Consciência. Muito Corretamente. Com Integridade. Com Comprometimento. Com Intenção Focalizada. Com nosso Amor Mais Puro.

Nós percebemos agora que ganhamos uma Oportunidade de Ouro. Uma oportunidade de recriarmos a nós mesmos e as nossas vidas totalmente de qualquer forma que escolhermos. Uma chance de olharmos dentro de nosso Coração dos Corações e ver quem nós realmente somos e determinarmos o que nós mais gostaríamos de fazer com nossas vidas. Um Novo Começo acabou de ser oferecido para nós.

Com esta tela em branco podemos escolher ficar inspirados ou podemos escolher ficar intimidados. O que iremos escolher? Se ficarmos intimidados, iremos agarrar precipitadamente o máximo de coisas antigas possíveis e jogá-las em nossa tela para ela não parecer tão branca e vazia. Nós não nos importaremos de gostamos delas ou não; nós não nos importaremos se elas expiraram ou não. Nós simplesmente iremos agarrar qualquer coisa que estiver bem perto e as seguraremos com força.
Se não tivermos clareza sobre quem nós realmente somos, se estivermos ainda resistindo ao que sabemos ser verdadeiro, ou se não tivermos nos perguntado o que nós realmente queremos, então iremos apenas passivelmente aceitar qualquer coisa que estiver ao nosso redor. Iremos perder nossa maravilhosa Oportunidade de Ouro de dar o passo para dentro de Vidas totalmente Novas que sustentam a realização dos nossos Sonhos mais Ousados.
Se ficarmos inspirados, iremos abraçar o vazio de nossa tela em branco. Iremos saber que qualquer coisa poderia ir lá, mas seremos cuidadosos ao colocarmos apenas o que nós realmente queremos, o que parece absolutamente verdadeiro. E quando continuarmos a nossa jornada, não mais atravancados com o enorme peso de nossa história passada, iremos pisar leve e verdadeiramente; fazendo o menor número de pegadas novas possível.
É assim que alcançamos o final da praia....
O fim da estrada velha.
Quando a praia subitamente termina, estamos extremamente surpresos, pois esta é a última coisa que jamais esperávamos. Onde iremos agora? 
A direção a nossa frente é o nada. Nada de terra. Nada de pontos de referências. Nenhuma árvore. Ninguém. O Desconhecido Puro. O que fazer?

Nós sabemos que não podemos simplesmente parar e ficar onde estamos. Sabemos que não podemos retornar, porque já cruzamos o Ponto de Não Retorno. Sabemos que temos que seguir adiante em direção as nossas Novas Vidas, mesmo que não tenhamos ainda uma imagem clara do que elas possam parecer. É a única direção onde realmente queremos ir. Então a opção única para nós é levantarmos o nosso pé direito e movermos ele para a frente, fora do Mapa do Conhecido e na direção das esferas inexploradas do Desconhecido.
Não vemos nada para colocarmos o pé, e ainda assim nós movemos o pé para a frente, confiando, sabendo que ele irá achar um lugar para pisar. E miraculosa-mente.... Ele acha.
Então temos um pé na praia e um pé no Desconhecido. O que fazer? Simplesmente levante seu pé esquerdo e continue. Ele irá encontrar algum lugar onde pisar. E é assim que atravessamos a ponte do Conhecido para o Desconhecido, de nossas vidas antigas para as nossas Vidas Novas.

 

Dentre todas  as emoções humanas, nenhuma é tão nociva quanto o sentimento de culpa. Nociva pelos desacertos que provoca tanto física como emocionalmente, e pior ainda, completamente ineficaz, porque não traz em si  nenhuma  possibilidade.
Desenvolver o sentimento de culpa em razão de qualquer causa que lhe ocorra, cria entraves ao fluir da vida.
Se o que lhe causa a culpa é:
- Preocupação excessiva com a opinião dos outros;  Saiba que não importa o que você faça as pessoas não te vêem como você é, cada uma tem de você uma visão distinta e peculiar, algumas boas e outras ruins, da mesma maneira como elas não podem controlar como você as vê.

- Sente-se mal quando recebe algo, pois na verdade não se considera digno de aceitar o que os outros dão;  Você precisa entender que existem pessoas que sentem um profundo prazer e alegria verdadeira em serem gentis, se alguém lhe deu algo, recebe carinhosamente e veja de que maneira você pode retribuir a gentileza, a retribuição anula a possibilidade da culpa.

- Raiva reprimida; Não reprima sua raiva, deixe-a sair de dentro de você, e para isso você não precisa agredir outra pessoa, mas achar a sua maneira de colocar para fora de seu corpo físico essa sensação. Pode ser tendo um saco de pancadas no quintal e esmurrando como se fora o seu algoz, pode ser cantando efusivamente musicas de protesto, e também pode ser através de um trabalho de respiração profunda e ritimada soltando através de sons e ais esse sentimento de raiva. E se ela for muito grande procure nas medicinas vibracionais a cura, como por exemplo na Terapia Floral.

Dificuldade em assumir responsabilidade pelos próprios atos; A dificuldade em assumir a responsabilidade por seus atos vem da crença de que existe erro. O erro é uma ilusão. O que existem são resultados diferentes do almejado, se você excluir a idéia de erro de sua mente a culpa vai embora junto. O fracasso também é um resultado, só isso. Ai, você revê os movimentos e procura outra alternativa e continua, tenta de novo vai em frente, em algum momento você se realiza.

- Não consegue falar 'não';  Falar não é ter consciência de suas reais possibilidades. Quem não consegue falar não assume uma postura de que esta na vida a serviço do outro para que ele o valorize, para que ele reconheça sua bondade, sua generosidade, seu valor, e isso não vai acontecer .  Estamos  na vida para trocar todo tipo de energia e informações, estamos  na vida para conviver com as pessoas e não para servir e só servir.E não raro, o não que praticamos é o movimento de energia necessário para impelir o outro à ação.

- Não consegue administrar o tempo, pois está sempre sobrecarregado; Estar sempre sobrecarregado é perder a graça e a leveza da gratuidade da vida, é perder o contato com o existir pura e simplesmente, é perder a sua identidade Divina para vivenciar exclusivamente a identidade humana, é perder a graça da criança brincalhona que há dentro de você.

Para resolver o sentimento de culpa  assuma a vida como ela é, seja você mesmo sem medo de se amar.Seja mais simples, valorize movimentos de vida que ocorrem a seu redor o tempo todo, admire o por do sol, brinque mais, sorria mais, leve a vida menos a sério, ela é passageira e você é muito mais do as impossibilidades e problemas terrenos.
Assume os resultados de seus atos por mais dolorosos que possam ser e de o próximo passo, muitas vezes você vai perder algo ou alguém, com ou sem culpa isto vai acontecer, a culpa é apenas um acréscimo nas dores  e pesares que temos que vivenciar, ela só aumenta o peso, não serve pra mais nada, adoece. Carregue menos peso, deixe a culpa, siga sem ela.
Assume! Responsabilize-se!

Multidão roxo

Estar no mundo para viver com

Tenha  muito forte e muito vivo em sua mente que você esta no mundo para viver com as pessoas e não para viver por elas. Por mais que você se dedique e se desgaste em sair do lugar seguro de si mesmo e tentar fazer escolhas, proteger, se doar por inteiro pelo  outro, nenhum de seus esforços atinge o cerne do ser do outro. Ele vem e aceita por escolha, não por imposição.
Quando somos impelidos a conhecer novos movimentos, a buscar novas saídas e experimentar algo novo, vamos porque algo muito profundo em nosso eu interno esta nos impelindo ao movimento, e se prestarmos atenção a isso veremos que também não fazemos nada forçados. E odiamos que tentem resolver por nós.
É muito fácil percebermos o quanto nos incomoda quando querem resolver por nós, tomar conta do que é nosso,  difícil é perceber quando somos nós que estamos fazendo esse movimento.
Em geral nossos maiores desafios são nossos familiares, gastamos um potencial energético imenso na tentativa de minimizar o sofrimento, de administrar perdas de contornar emoções querendo impedir que eles sofram, ou percam, ou se desesperem, e nesta tentativa inócua vamos sendo deixados de lado, vamos nos deprimindo, vamos perdendo o brilho e a vida se torna um peso excessivo a ser carregado, porque não conseguimos ver que a perda faz parte, a dor faz parte, o luto faz parte, e só os grandes  terremotos  existenciais nos impelem, a mudanças verdadeiras e significativas.
Ficamos trancafiadas em nossas casas sentindo uma solidão profunda porque os maridos preferem jogar futebol com os amigos, bater papo no botequim, os filhos saem com as namoradas ou vão para a balada , e nós estamos lá, a serviço do outro o tempo todo, deixando nossa energia e nossa vida escoar pelas mãos, esperando que reconheçam, que nos premiem porque abrimos mão de nossa vida individualizada para cuidar exclusivamente das vidas deles...................
Os tempos são outros.
É o tempo do despertar para o ser pleno que você é.
É o tempo de se conhecer e se descobrir.
De se envolver com seus projetos por mais simples que possam parecer e se permitir viver na gratuidade, trocando experiências e sentimentos e sendo co-participe das vidas de seus entes mais queridos e dos amigos, mas agora com uma profunda reverencia a totalidade do seu ser, independente e único, você pode acessar a sua Luz interna e dar a ela o brilho que lhe convem. Mostrar o caminho você pode, mas caminhar pelo outro jamais.  A evolução é uma jornada solitária.
O que voce já fez não pode ser alterado.
O que voce fará não pode ser atinjido.
O QUE VOCE FAZ AGORA é que é determinante.
Sera o seu passado logo ali adiante.
Cuide do seu dia e seu futuro esta livre de remorsos.
Perceba-se no contexto existencial de seu próprio eu interno.