• Sissi Semprini

A DIFÍCIL CONSCIÊNCIA DA INDIVIDUALIDADE


Somos seres que se agrupam, que buscam inegavelmente a companhia uns dos outros, precisamos de proximidade e de contato. Na nossa evolução de animal racional trazemos arraigado em nosso DNA a informação da convivência em clãs. Estamos profundamente conectados a nossas famílias.

Esta conexão é mais visível quando se entra em contato com os trabalhos de Constelações Sistêmicas Fenomenológicas, processo terapêutico revolucionário elaborado por Bert Hellinger que retrata fielmente a profundidade de conexão que trazemos no nosso existir com nossos ancestrais.

Todo SER que já entrou em contato com esse processo terapêutico e já efetuou trabalhos para si mesmo dentro deste fluxo energético, pode perceber que mudanças profundas começam a ocorrer em sua forma de perceber o mundo e interagir com ele.

À medida que vamos desatando os nós dos emaranhamentos familiares a nossa percepção do eu individual começa a tomar forma.

E o momento planetário nos chama aceleradamente para essa nova consciência do existir, A consciência do Eu Uno com o TODO, que é pleno em si mesmo e pode fluir segundo suas escolhas e o seu pulsar de vida.

Essa consciência do Eu Uno, nos faz perceber que não só os nossos familiares merecem uma forma diferenciada de serem tratados, mas todo ser planetário, independente da espécie a que pertença, somos conectados com todas as formas de vida nesta dimensão e em todas as dimensões.

Somos livres em nós mesmos e individualizados de uma maneira única e espetacular de existir.

Já não precisamos mais das crenças, não precisamos mais dos templos de adoração, não precisamos mais dos Deuses distantes colocados acima de nós.

Precisamos apenas da consciência evolutiva que nos faz perceber que na escala de evolução universal vibramos em diversas faixas de sintonia. E isto não nos faz menores, ou seres que precisam de piedade, nos mostra apenas o caminho que já trilhamos e a estrada que se desponta a nossa frente para ser trilhada, com alegria, com leveza, no nosso tempo, sem culpas, apenas como seres cônscios de que todo movimento tem o contra movimento e toda causa gera um efeito, e assim, passo a passo, jornada a jornada, vida após vida, vamos nos libertando gradativamente do pesado fardo da inconsciência de que somos todos UM, e assimilando a informação de que cada qual tem por excelência o domínio de si mesmo, ainda que não tenha se apercebido disto.

Só existe uma vida da qual você pode tudo a seu comando: A sua própria vida!

Aos que lhe são caros, e aos que você ama sobremaneira, só lhe cabe respeitar-lhes as escolhas e apontar os caminhos que te trazem leveza, mas trilhar esse caminho que você aponta, só se for por deliberação de quem você convida. Existe a interação, mas nunca a decisão pelo outro.

Somos seres livres, plenos em nós mesmos e estamos no universo para viver com toda a energia de vida universal, para interagir com ela, sem direito de propriedade e de domínio, essa é a grande consciência do SER! Apenas SOMOS! E isso é tudo.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo