top of page
  • Sissi Semprini

ONDE ESTAMOS NESTE MOMENTO


Desde que começamos a encarnar na Terra pela primeira vez, temos caminhado ao longo de uma infindável extensão de praia arenosa. Todas as nossas experiências deixaram uma longa linha de pegadas na areia atrás de nós. Se fizermos uma pausa e olharmos para trás, iremos ver a nossa história inteira impressa na areia.


Houve momentos em que corremos livremente adiante, dançando com entusiasmo. As marcas na areia onde desistimos e nos atiramos ao chão esgotados demais para continuar. As pegadas preenchidas com poças de nossas lágrimas. As feias cicatrizes onde chutamos raivosamente a areia em frustração, impaciência e descontentamento. Podemos ver os lugares onde paramos para rezar ou meditar, construindo altares temporários na areia para o que quer que acreditávamos naquela época. Há também as deslumbrantes esculturas de areia que criamos quando estávamos cheios de inspiração. As palavras de sabedoria que gravamos pelo caminho. Os enormes corações que desenhamos quando estávamos apaixonados. As épocas em que simplesmente nos arrastamos pelo caminho, num cansativo passo a passo. As inúmeras pegadas quando andávamos com outros -- algumas vezes com amor, risadas e apoio; outras vezes deixando marcas de briga na areia de nossos conflitos e poças de sangue de nossas violentas batalhas.


Tudo o que vivemos está gravado na areia atrás de nós. É a nossa história -- nossa história pessoal. E está lá para todos verem.


Então algo totalmente inesperado acontece. Uma Tsunami gigante de AMOR aparece e com um grande XUÁ lava tudo e leva para longe! Nós paramos em nossos caminhos, incertos sobre o que fazer. Nossa história acabou de ser apagada. Nós subitamente nos sentimos nus. Como podemos continuar sem carregar o cunho (e bagagem) de todas as nossas experiências passadas?


A resposta é: Com Muita Consciência. Muito Corretamente. Com Integridade. Com Comprometimento. Com Intenção Focalizada. Com nosso Amor Mais Puro.


Nós percebemos agora que ganhamos uma Oportunidade de Ouro. Uma oportunidade de recriarmos a nós mesmos e as nossas vidas totalmente de qualquer forma que escolhermos. Uma chance de olharmos dentro de nosso Coração dos Corações e ver quem nós realmente somos e determinarmos o que nós mais gostaríamos de fazer com nossas vidas. Um Novo Começo acabou de ser oferecido para nós.


Com esta tela em branco podemos escolher ficar inspirados ou podemos escolher ficar intimidados. O que iremos escolher? Se ficarmos intimidados, iremos agarrar precipitadamente o máximo de coisas antigas possíveis e jogá-las em nossa tela para ela não parecer tão branca e vazia. Nós não nos importaremos de gostamos delas ou não; nós não nos importaremos se elas expiraram ou não. Nós simplesmente iremos agarrar qualquer coisa que estiver bem perto e as seguraremos com força.

Se não tivermos clareza sobre quem nós realmente somos, se estivermos ainda resistindo ao que sabemos ser verdadeiro, ou se não tivermos nos perguntado o que nós realmente queremos, então iremos apenas passivelmente aceitar qualquer coisa que estiver ao nosso redor. Iremos perder nossa maravilhosa Oportunidade de Ouro de dar o passo para dentro de Vidas totalmente Novas que sustentam a realização dos nossos Sonhos mais Ousados.

Se ficarmos inspirados, iremos abraçar o vazio de nossa tela em branco. Iremos saber que qualquer coisa poderia ir lá, mas seremos cuidadosos ao colocarmos apenas o que nós realmente queremos, o que parece absolutamente verdadeiro. E quando continuarmos a nossa jornada, não mais atravancados com o enorme peso de nossa história passada, iremos pisar leve e verdadeiramente; fazendo o menor número de pegadas novas possível.

É assim que alcançamos o final da praia....

O fim da estrada velha.

Quando a praia subitamente termina, estamos extremamente surpresos, pois esta é a última coisa que jamais esperávamos. Onde iremos agora?

A direção a nossa frente é o nada. Nada de terra. Nada de pontos de referências. Nenhuma árvore. Ninguém. O Desconhecido Puro. O que fazer?


Nós sabemos que não podemos simplesmente parar e ficar onde estamos. Sabemos que não podemos retornar, porque já cruzamos o Ponto de Não Retorno. Sabemos que temos que seguir adiante em direção as nossas Novas Vidas, mesmo que não tenhamos ainda uma imagem clara do que elas possam parecer. É a única direção onde realmente queremos ir. Então a opção única para nós é levantarmos o nosso pé direito e movermos ele para a frente, fora do Mapa do Conhecido e na direção das esferas inexploradas do Desconhecido.

Não vemos nada para colocarmos o pé, e ainda assim nós movemos o pé para a frente, confiando, sabendo que ele irá achar um lugar para pisar. E miraculosa-mente.... Ele acha.

Então temos um pé na praia e um pé no Desconhecido. O que fazer? Simplesmente levante seu pé esquerdo e continue. Ele irá encontrar algum lugar onde pisar. E é assim que atravessamos a ponte do Conhecido para o Desconhecido, de nossas vidas antigas para as nossas Vidas Novas.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page