• Sissi Semprini

PAIS CUIDAM E FILHOS SÃO CUIDADOS


A despeito de quão cuidadosos possamos ser como pais, nossos filhos chegam à vida acoplados aos seus destinos pessoais, e esse destino independe de tudo que possamos desejar, querer ou fazer em relação a eles.

O destino pessoal de cada um de nós tem a ver com nosso histórico existencial, que não necessariamente passa pela nossa família atual.

O que nos traz à conexão com nossas famílias é a energia frequencial de nossa individualidade que se identifica com valores, sentimentos, conexões e pesos de determinados sistemas. Podemos nascer em uma família com a qual nunca tivemos laços afetivos de proximidade.

No papel de pais estabelecemos em sua grande maioria conexões de amor e cuidado que não raro extrapolamos na tentativa de minimizar todo tipo de dor e sofrimento para nossos filhos, sem nos dar conta de que essas atitudes muitas vezes são quem os leva a um sofrimento maior e um aprendizado mais lento do que vieram aprender aqui.

Ser feliz implica em escolhas pessoais, e todas as nossas escolhas não são possíveis de serem feitas pelo outro, então não podemos escolher por nossos filhos. Interferimos de todas as maneiras com sugestões, palpites, dialogo, apontando resultados, mas a escolha definitiva quem faz são eles.

Às vezes as suas escolhas os levam a um sofrimento profundo, e pode ser que os pais soubessem e vissem antecipadamente e se isto acontece, muito pior ficar dizendo: eu disse a você que não seria bom, que não daria certo, etc.

Sofrimentos e angustias também pautam a relação pais e filhos.

Se nossos filhos fazem uma escolha que sentimos não ser a melhor para eles precisamos deixa-los ir, desejando que possam viver bem e serem felizes nesta escolha, mas deixando claro a eles que se algo contrario acontecer, se se sentirem frustrados e infelizes estamos aqui, no nosso papel de acolhedores e não os acusaremos de nada, apenas vamos oferecer o nosso amor e nossa escora para que se refaçam dessa experiência ruim, se fortaleçam e retomem sua jornada individual fortalecidos e prontos para o próximo passo.

Melhor para todos, para nós e para eles quando ficamos no amor e lhes damos colo sem julgamentos possibilitando que se reconfortem, se refaçam e retomem suas vidas.

Pais cuidam e filhos são cuidados.

Não queira por eles. Embora nossos filhos em nossa humanidade, são Seres de Luz que estão na vida conosco mas não nos pertencem. E o amor pleno é aquele que não amarra, que não impossibilita e tem olhos de ver por inteiro essa verdade.

Às vezes por desejar o melhor a eles mudamos hábitos ruins em nós, eles percebem e seguem pelo exemplo. Mudamos muitas coisas em nós por eles porque acabam sendo preciosos demais e conseguem nos trazer uma percepção ampla dando à nossa vida um valor ainda maior.

Na oportunidade de vivenciarmos a família sendo pais, abrimos o canal de comunicação com o aprendizado do amor incondicional.

"Em Poucas Palavras - vol IV" - Sissi Semprini

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo