• Sissi Semprini

SOLIDÃO E SOLITUDE



A solitude é um estado de espírito que nos remete ao contato interno. É um momento meu comigo mesmo. Quando estamos em solitude há uma paz inexplicável em nosso eu interno. É um momento onde entramos em contato com nosso grande além de dentro.


Podemos escolher ouvir uma música que nos agrade, contemplar uma paisagem ou a chuva que cai, admirar o pôr do sol ou a aurora, ou mesmo estarmos recolhidos no silêncio de nossas casas em quietude. A solitude é agradável, benéfica é um momento em que nem gostamos de estar acompanhados, porque é mágico demais. Somos nós, o silêncio interno e o universo, uníssonos.


A solidão é uma tormenta interna. É um vazio profundo, um desencontro de mim comigo. É a ânsia incontida de precisar estar ao lado de alguém, ao lado de muitas pessoas, de precisar do movimento exagerado para ter conexão com a vida. A solidão quase sempre está revestida por um profundo sentimento de abandono e de dor. A solidão entristece, envelhece e adoece. Quase sempre vem acompanhada de muitos outros sentimentos como a angústia, a baixa auto-estima, a incompletude. A solidão dilacera a alma e nos remete ao vazio interno.


E como é possível transformar a solidão em solitude?


Existe uma máxima inegável na vida: "Conhece-te a ti mesmo". Precisamos entrar em contato com nossas essências internas, descobrirmos o que nos agrada, o que nos acresce, o que amplia nossos horizontes e ir caminhando rumo ao nosso além de dentro.


Quando nos conhecemos um pouco mais, aprendemos a lidar com nossas limitações e descobrimos caminhos e terapias adequadas que nos auxiliam na superação de nossas limitações.


Vamos nos olhando de uma forma mais amorosa, sem o cruel mecanismo de comparação. Percebemos que somos únicos, nos assemelhamos a outros, mas continuamos únicos. Aí começamos a trabalhar a nossa auto-estima e a amar a forma física que apresentamos na vida, a amar a maneira com que vemos o mundo, a nos agrupar com aqueles que comungam de nossa ideologia respeitando a ideologia e a maneira dos outros.


Vamos ficando mais centrados, vencendo a impaciência e a ansiedade. Acalmamos a nossa mente e administramos nossos anseios a patamares saudáveis. Passamos a viver melhor.


Descobrimos a solitude. Estamos mais próximos do amor incondicional.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo